Segunda-feira, 2 de Julho de 2007

6.º grau de turbulência interior

Estou muito cansada...
Estou muito ansiosa...
Estou muito, estou pouco, estou assim para aqui...
Hoje tive uma entrevista; correu bem, mas ainda não sei a resposta; acho que até saber não vou aguentar tanta ansiedade... Mal saí da entrevista comecei logo a empanturrar-me. Comi um travesseiro de chocolate e uma arrufada, entre uma e outra cevada a acompanhar. Agora estou no meu gabinete, supostamente a trabalhar, mas não consigo... O coração bate depressa de mais. A minha vida está suspensa, à espera de uma certeza maior que nunca mais chega. A minha família a desmoronar-se um pouco mais... e a possibilidade de a minha mãe viver comigo, o que me parece bem, porque sinto-me triste e carente e se vivesse sozinha com ela podia-lhe contar tudo, das compulsões, ... e ela de certeza iria ajudar-me. Ao mesmo tempo... às vezes não quero ver ninguém, quero ser eu e só eu; eu e uma carteira com dinheiro q.b. para comprar as porcarias de que o meu estômago e a minha cabeça se lembram... O meu namorado apático, demasiado apático para mim, que até já um suplemento energético tomo, não vá isto ser falta de vitalidade e energia... Quero praticar desporto! Quero e preciso urgentemente, mas com calma, porque as arritmias assustam-me cada vez mais... Preciso de quebrar laços e rotinas e, ao mesmo tempo, preciso de estabilidade: um salário que no final do mês pague todas as despesas, uma vida tranquila, uma terapia, bem sei que ajudaria... enfim... tenho tudo e falta-me tudo.
“Ver passar a vida faz-me tédio...”, mas será que não é isso que tenho andado a fazer?
Estou cansada de mais, frustrada de mais, mal-humorada de mais, desesperada de mais, só de mais, perdida... e ninguém, mas ninguém, consegue atravessar esta parede de gelo fria que me separa de mim e me separa de tudo.
 
Talvez daqui a pouco dê-me por vencida: a compulsão vai tomar conta de mim e tomar as rédeas da minha estúpida e insignificante vida. É o que está a acontecer. E sabem? A compulsão está a vencer, a compulsão vence sempre agora, sempre, mas sempre... Parece que o mundo vai acabar daqui a pouco e tenho que devorar tudo o que me rodeia, mas quero tudo só para mim e quero tudo sozinha...
 
Hoje odeio-me. Há tanto tempo que não sentia isto... Mas é verdade: hoje odeio-me e não tenho confiança ou esperança em mim; hoje odeio-me e preferia passar o dia fechada num quarto iluminado a observar as manchas nas paredes; hoje odeio-me tanto, mas tanto, que só queria estar só, só, só, só, só... só eu e eu, só eu e os meus pensamentos distorcidos, só eu e a compulsão, só eu e o meu corpo a engordar e a ficar disforme, só eu e a merda da minha obsessão... só eu e o fim algures, algures perto, algures longe, mas algures.
 
Hoje estou só, mesmo que rodeada de empecilhos que só estorvam os meus planos obsessivo-compulsivos, e estou só de mais, e quero estar assim, às vezes, mas também não quero estar assim, às vezes. Hoje gostava de chorar... chorar como se não houvesse amanhã, porque talvez não haja, porque talvez esteja verdadeiramente spiraling down...
 
 
Hoje estou...: no fim
Música de fundo: Dream Theater - VIII. Losing Time/Grand Finale
Publicado por opium às 12:22
link do post | Comentar | favorito
11 comentários:
De Gabi a 2 de Julho de 2007 às 13:46
Oi querida!!! Puxa q tristeza me deu ao ler seu post...
O que está acontecendo com vc? Não fique assim naum querida, vc naum está só, vc tem a gente!!! Estamos todas aqui a apoiar-te!!! De verdade!!! Todas queremos alegrar-te e dar-te força, vc naum é nada disso o q disse!!! Vc é uma pessoa especial, naum deixe o espelho falar mais alto...please!!!
Bjokas
Gabi
De opium a 3 de Julho de 2007 às 19:16
A compulsão vence-me todos os dias, todos os dias, todos os dias...

Estou deliciada, claro, mas triste, cansada, preocupada...

Consequências desta merda?!? Ui... nem sei se é bom saber...

Perdi o controlo da minha vida. Por muito que me mantenha ocupada, por muito que trabalhe,... há sempre um espaço de pausa para comer desalmadamente. Talvez o meu organismo esteja em absoluto refluxo. É desta que passo das calças 32 para as calças 44 outra vez... :( E tenho pena, mas não me consigo controlar: a comida é boa de mais!

MERDA MERDA MERDA!

Comentar post

.Quem sou?

.pesquisar

 

.Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

.ProZas recentes

. Sinceramente...

. Será o típico "blá blá"?

. Dia bom, dia mau, dia bom...

. Uma caverna, que tal?

. Ansiedade, ansiedade e ma...

. Hardcore

. Fantasias, sonhos, realid...

. Incongruências

. A matemática das coisas

. 6.º grau de turbulência i...

.ProZas antigas

blogs SAPO

.subscrever feeds